Neste dia 02 de novembro celebramos o Dia de Finados, o dia da celebração da vida eterna das pessoas queridas que já faleceram. É o Dia do Amor, porque amar é sentir que o outro não morrerá nunca.

Em Ouro Branco a movimentação no Cemitério Nosso Senhor do Bonfim foi pequena pela manhã, mas alguns vendedores ambulantes já estavam de prontidão, na porta do cemitério, para vender aos visitantes que deixam para comprar na última hora velas e fósofros.

Na parte da tarde a movimentação está intensa, muita gente deixou para a tarde, curiosamente depois das 15:00hs, devido ao forte calor acompanhado de um sol muito quente.

Logo mais às 17:00hs será celebrada uma missa em frente ao Cemitério, pelo Padre Petrúcio Juvenal, da Paróquia de Santo Antonio.

HISTÓRIA DO DIA DE FINADOS

O Dia de Finados éÉ celebrar essa vida eterna que não vai terminar nunca. Pois, a vida cristã é viver em comunhão íntima com Deus, agora e para sempre.

Papa Silvestre II

Papa João XVIII

Papa João XVIII

Desde o século 1º, os cristãos rezam pelos falecidos; costumavam visitar os túmulos dos mártires nas catacumbas para rezar pelos que morreram sem martírio. No século 4º, já encontramos a Memória dos Mortos na celebração da missa. Desde o século 5º, a Igreja dedica um dia por ano para rezar por todos os mortos, pelos quais ninguém rezava e dos quais ninguém se lembrava. Desde o século XI, os Papas Silvestre II (1009), João XVIII (1009) e Leão IX (1015)

Papa Leão IX

obrigam a comunidade a dedicar um dia por ano aos mortos. Desde o século XIII, esse dia anual por todos os mortos é comemorado no dia 2 de novembro, porque no dia 1º de novembro é a festa de “Todos os Santos”.

O Dia de Todos os Santos celebra todos os que morreram em estado de graça e não foram canonizados. O Dia de Todos os Mortos celebra todos os que morreram e não são lembrados na oração.